Espaços dedicados à inovação incentivam mudança cultural na indústria

Entre 2020 e 2021, 88% das indústrias brasileiras de médio e grande porte promoveram algum tipo de inovação. O dado é de uma pesquisa da CNI, realizada pelo Instituto FSB, que também revelou que 51% das empresas não têm áreas exclusivamente dedicadas ao tema. Para que o ecossistema de inovação siga em desenvolvimento, é preciso, literalmente, abrir as portas para a transformação. É daí que vem o termo open innovation – a partir da colaboração entre academia, startups e profissionais que não fazem parte da estrutura dos negócios, é possível fomentar novas ideias e projetos. “De maneira geral, são poucas as empresas que estão suficientemente posicionadas na agenda da inovação. Todas possuem necessidades que vão desde ampliar seu quadro de colaboradores, até ir além com Provas de Conceito (POC´s) com startups”, analisa Felipe Couto, gerente de Inovação e Produtividade do Sistema Fiep.

O Senai Paraná conta com um leque amplo de espaços onde a inovação se torna acessível a negócios de todos os portes. Um deles é o HUB de Inteligência Artificial, que fica em Londrina, onde as indústrias podem realizar POC´s a partir de uma estrutura disponibilizada pelo Senai – laboratórios, profissionais e empresas de tecnologia se dedicam a pesquisar, testar e avaliar produtos e serviços. É inovação aberta mesmo: toda indústria pode compartilhar suas necessidades e encontrar apoio especializado. “Temos uma metodologia de orientação aos empresários conforme seu grau de maturidade e soluções de serviços que atendem desde aqueles que precisam iniciar nesta jornada àqueles que possuem uma carteira de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação”, complementa Felipe.


G1