top of page

Exportações da indústria de transformação recuam no RS

A indústria de transformação do Rio Grande do Sul fechou o mês de julho com US$ 1,5 bilhão em exportações, o que representa retração de 0,4% na comparação com o mesmo mês de 2022 (US$ 6,3 milhões a menos). Em relação ao acumulado de janeiro a julho, o recuo é ainda maior, de 3,6%, frente ao mesmo período do ano anterior. “Esta queda no faturamento no mês passado ocorre principalmente por causa dos preços médios dos produtos exportados, que recuaram 5,7%”, afirma o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry, ao analisar os resultados divulgados pela Secex. Ao contrário dos preços, as quantidades exportadas em julho aumentaram 5,6% ante o mesmo período de 2022.


Dos 23 segmentos exportadores da Indústria de Transformação gaúcha, apenas dez avançaram na receita de suas vendas externas ante julho do ano passado. O segmento com maior faturamento foi o de Alimentos, com receita de US$ 540,2 milhões (-US$ 0,4 milhões ou -0,1%). O efeito preponderante para explicar a retração em julho ficou por conta dos preços médios dos produtos exportados, que caiu 7,5%, enquanto as quantidades avançaram 8%. O produto mais embarcado foi farelo de soja, com elevação de 38,2% em relação a julho do ano anterior. Mesmo tendo sido o segundo produto do segmento mais exportado no mês passado, a carne de frango in natura caiu 34,7%. Vale destacar que, nos últimos meses, os estados brasileiros têm apresentado pequenos casos de influenza aviária, justificando, em parte, a menor demanda por produtos avícolas.


Comunicação da FIERGS



Σχόλια


bottom of page