Impressão 3D consegue mesclar materiais líquidos e sólidos

Uma pesquisa conduzida por engenheiros da Universidade do Colorado Boulder, apresentou, recentemente, uma estratégia para o uso de impressão 3D que consegue fundir componentes sólidos e líquidos sem que os dois se misturem. De acordo com o estudo publicado em 14 de abril na revista Additive Manufacturing, com essa descoberta será possível fabricar dispositivos mais flexíveis, dinâmicos e potencialmente mais úteis.

Para Robert MacCurdy, autor sênior do estudo e professor assistente no Departamento de Engenharia Mecânica Paul. M. Rady, futuramente essa tecnologia permitirá fazer muito mais, incluindo dispositivos eletrônicos vestíveis com fios de líquido contidos em substratos sólidos, ou até mesmo modelos que imitam a maciez de órgãos humanos reais.

O engenheiro compara o avanço com a passagem das impressoras tradicionais da impressão em preto e branco para a impressão em cores. "As impressoras coloridas combinam um pequeno número de cores primárias para criar uma rica variedade de imagens. O mesmo acontece com os materiais. Se você tem uma impressora que pode usar vários tipos de materiais, você pode combiná-los de novas maneiras e criar uma gama muito mais ampla de propriedades mecânicas. Acho que há um futuro em que poderemos, por exemplo, fabricar um sistema completo como um robô usando este processo”, afirma.


Redação CIMM