Indústria 4.0 exige evolução dos profissionais

A indústria 4.0 muda os paradigmas dentro das fábricas. Além do maior uso de tecnologias que permitem a potencialização da precisão, otimização dos custos e maior produtividade, o conceito traz consigo uma necessidade de mudança dos profissionais que trabalham nesta área.

Como as mudanças são muitas, abre-se um espaço grande para novas profissões ou adequação de funções. De acordo com uma pesquisa realizada no Senai em 2019, cerca de 10 milhões de trabalhadores precisarão de qualificação, até 2023, para as atividades industriais centradas na tecnologia.

Felipe Araújo Kluska, professor da FAE Business School, caracterizou o profissional 4.0 como aquele que sabe transformar dados em informações relevantes para a indústria.

“A forma como os profissionais e as empresas 4.0 lidam com dados hoje, olhando para eles, fazendo predições e análises estatísticas permite, muitas vezes, prever movimentos futuros do segmento em que atuam, mas para isso é necessário desenvolver habilidades específicas que vão além do domínio da tecnologia. De modo geral, o profissional da indústria 4.0 não precisa, necessariamente, ser especialista em tecnologias específicas, mas precisa compreender o organismo gerencial dos processos em que atua, as tecnologias instaladas e disponíveis, usando as tecnologias 4.0 a seu favor e das melhorias de produção”, completa o professor ao portal.

A indústria 4.0 portanto, não vem para tomar empregos, mas sim para transformá-los. Sendo assim, os profissionais precisam se capacitar o quanto antes para continuarem competitivos no mercado.


Ind4.0