top of page

Indústria da transformação seguiu estável em fevereiro

A indústria de transformação perdeu fôlego na passagem de janeiro para fevereiro deste ano, de acordo com os Indicadores Industriais da CNI. A pesquisa, com empresas que correspondem a cerca de 95% do PIB industrial, aponta uma trajetória de desaceleração nos seis fatores analisados: faturamento, horas trabalhadas na produção, emprego, massa salarial, rendimento e utilização da capacidade instalada.

De acordo com economista da CNI Larissa Nocko, a indústria vinha dando sinais de desaceleração nos últimos meses de 2022 e, em fevereiro, os indicadores registraram uma misto de estabilidade e recuo.

“Essa perda de fôlego da atividade industrial reflete o período prolongado de convivência com juros altos, agravado pela incerteza que marcou os últimos meses e que vem penalizando os investimentos produtivos”, explica a economista.

O faturamento real da indústria registrou recuo de 0,1% em fevereiro de 2023 em comparação com janeiro. A queda representa uma continuidade da trajetória de queda gradual do indicador iniciada no segundo semestre de 2022. Apesar disso, houve crescimento de 1,4% no indicador, na comparação com fevereiro de 2022.


Portal da Indústria




Comentários


bottom of page