Portugal: 140 milhões de euros para a indústria do calçado

Dois projetos e 140 milhões de euros para desenhar a indústria portuguesa de calçado do futuro. A liderar o investimento de três anos estão a Apiccaps (Associação Portuguesa Ind. Calçado Componentes Artigos Pele Sucedaneos) e o Centro Tecnológico do Calçado de Portugal (CTCP). Dois objetivos: fazer do calçado português a referência internacional da "produção sustentável" e desenvolver as exportações.

Projeto número 1: chama-se BioShoes4All e terá um orçamento de 80 milhões de euros. Move-se ao longo de 5 linhas: biomateriais, calçado ecológico, economia circular, tecnologias avançadas de produção, formação e promoção.

Projeto número 2: chama-se Faist, vai "custar" 60 milhões. A Faist pretende "aumentar o grau de especialização da indústria portuguesa de calçado para novos tipos de produtos".

"As conquistas do passado não são garantias para o futuro", observa o presidente da Apiccaps, Luis Onofre. "Embora o calçado português tenha tido um desempenho notável na última década, acreditamos que o negócio mudou. Cabe a nós investir para nos mantermos na vanguarda. Este é o momento de nos prepararmos para uma nova década de crescimento" . Como? Por exemplo: "Fortalecendo as competências, acelerando a inserção de novos profissionais qualificados nas empresas e aumentando os investimentos em pesquisa e desenvolvimento", conclui Onofre.

La Conceria