top of page

Setor de máquinas para couro e calçados vê 2023 com cautela

A indústria brasileira de máquinas para os setores do couro e do calçado projeta com cautela o ano de 2023. “Entramos neste ano com várias forças agindo sobre nosso mercado. Teremos mais negócios de produtos acabados com o ocidente e menos negócios de commodities com o oriente”, pontua o presidente da Abrameq, André Nodari. O dirigente fala das oportunidades para a indústria de máquinas em 2023.

“A ‘desglobalização’ em curso nos torna mais atraentes como fornecedores. Estar longe da guerra no Leste Europeu também. Isto pode ter um resultado líquido bom para o Brasil”, sustenta. Segundo Nodari, as incertezas em relação ao cenário político-econômico no começo deste ano no País podem impactar nos negócios do segmento. “É um cenário ainda obscuro. Para onde irá o novo governo? Até agora estamos cegos no meio do nevoeiro. Mas nos próximos meses isto ficará bem claro. Mas que não se espere uma agenda liberal – não foi isto que ganhou na eleição”, frisa. O dirigente espera menor interferência política na economia. “Intervindo somente onde necessário e deixando os agentes econômicos o mais livres possível para promover o crescimento econômico.”


Jornal Exclusivo




Comments


bottom of page