top of page

Sustentabilidade abre oportunidades no mercado internacional

A sustentabilidade vem sendo cada vez mais demandada por consumidores não somente no mercado doméstico, mas também internacional. A questão ficou evidente em um painel com calçadistas da Argentina, Espanha e México realizado ontem (25) durante o INSPIRAMAIS, salão que ocorre no Centro de Eventos da FIERGS, em Porto Alegre/RS.

O painel iniciou com a apresentação de Daniel Risafi, vice-presidente da Câmara das Indústrias de Calçados da Argentina (CIC). Com 1,2 mil indústrias de calçados que produzem 120 milhões de pares todos os anos, o parque produtivo argentino vem avançando na área de sustentabilidade, mas existe um longo caminho a ser percorrido. Segundo Risafi, hoje o Brasil é o principal fornecedor externo de calçados daquele país. “Dos mais de 40 milhões de pares importados, cerca de 20 milhões são brasileiros”, destacou. O dirigente ressaltou, ainda, que a indústria calçadista argentina gera, anualmente, 16,5 milhões de toneladas de resíduos, reciclando apenas 6% deles. “Existe uma exigência crescente do nosso consumidor por produtos mais sustentáveis. Estamos avançando em aspectos da economia circular, mas existe muito a ser feito”, concluiu.

Tratando de um dos mercados mais avançados da Europa, no que diz respeito à sustentabilidade, o diretor de Marketing e Desenvolvimento de Negócios da Federação das Indústrias de Calçados da Espanha (FICE), Imanol Martinéz Gómez, destacou que o parque industrial do setor produz mais de 100 milhões de pares por ano, dos quais exporta 70%. Já as importações chegam a 330 milhões por ano, sendo que parte dela é reexportada para países europeus. Segundo Gómez, a indústria espanhola trabalha, basicamente, com produtos de maior valor agregado e respeito ao meio ambiente, com processos produtivos que diminuem o impacto ambiental, com redução do uso de resíduos e uso de energias renováveis. “Temos uma das economias mais abertas do mundo, mas também exigente no que diz respeito à sustentabilidade”, contou. Ao todo, o parque industrial espanhol é composto por mais de 3 mil empresas e tem como principais clientes França, Itália e Portugal.

Representando um dos principais mercados de calçados no continente americano, o presidente do Conselho Diretivo da Câmara das Indústrias de Calçados do Estado de Guanajuato (CICEG), no México, Alfredo Padilla Villalpando ressaltou que a pandemia de Covid-19 afetou o setor calçadista mexicano, mas que a atividade vem em recuperação. Em 2022, foram produzidos (80% de em Guanajuato) mais de 224 milhões de pares, contra 251 milhões de pares em 2019. Já as importações de calçados alcançaram 126 milhões de pares no ano passado, ante 102 milhões de pares no pré-pandemia. “O setor está em recuperação, principalmente na questão do consumo. O consumidor mexicano preza por produtos cada vez mais sustentáveis e que tenham durabilidade, quesito em que o couro ganha vantagem”, disse. “Muitas companhias internacionais que importam do México vêm solicitando calçados sustentáveis, o que tem causado uma transformação do setor”, concluiu Villapando.


Comunicação da Assintecal




Comments


bottom of page